“Em dois dias, perdi meu pai e minha irmã”

Foram 48 horas de dor. Entre 29 e 31 de março, a estudante de medicina Emanuelly Cavalcante, de 23 anos, perdeu o pai, o médico João Joaquim Cavalcante Neto, de 61 anos, e a irmã, Emilly Cavalcante, de 25 anos, graduanda em medicina. Ambos estavam internados com Covid em um dos hospitais de campanha administrados pela Prefeitura de Natal, capital do Rio Grande do Norte. Cavalcante Neto trabalhava em três unidades de saúde e em um hospital da capital no setor de pediatria. Em 15 de fevereiro, tomou a segunda dose da CoronaVac. No dia 3 de março, no entanto, começaram a surgir os primeiros sintomas. Pai e filha apresentavam os mesmos sintomas, com pequenos intervalos de diferença. Até 2 de abril, 4.507 pessoas haviam morrido no Rio Grande do Norte em decorrência da Covid-19. Os óbitos cresceram no mês de março, o segundo mais letal desde o começo da

Continue lendo na Revista Piauí.