Coveiro da Nação ou Coveiro Danação

Foto: Isac Nóbrega/PR

Até agora, eu acreditava piamente (e emprego mesmo vocábulos religiosos) serem principalmente os pastores evangélicos e seus seguidores a principal base de apoio do presidente Bolsonaro, ao qual decidi chamar, em toda oportunidade possível, de Coveiro Danação.

Ora, pequei por ingenuidade. Os evangélicos, a maioria dos 30% ainda favoráveis ao presidente, também chamado atualmente de genocida, não estão sós. Embora a imprensa esteja sendo chamada de principal oponente ao coveiro genocida, existem muitos jornalistas fiéis ao Messias rebatizado no rio Jordão, na campanha eleitoral.

De uma fidelidade religiosa, cega e canina, a ponto de postar num grupo de jornalistas o vídeo de um nazifascista(não havia seu nome), ao final do qual surge um apelo em favor de um golpe militar, sem faltar o som de fundo de uma marcha

Continue lendo no Observatório da Imprensa.