Polícia do Rio comprou tecnologia da Oracle usada por países autoritários

A multinacional de tecnologia Oracle vendeu softwares de análise de dados e para equipar forças policiais de vários países – entre eles, o Brasil e regimes autoritários, como a China. Segundo documentos da própria Oracle, as tecnologias prometem fazer até o que se chama de “policiamento preditivo” – cruzar dados para tentar prever crimes – e usar conteúdo de redes sociais para fazer análises comportamentais. Especialistas em segurança alertam que os sistemas podem ajudar a aumentar o aparato de repressão política em locais como a China e a fortalecer o racismo sistêmico presente na polícia brasileira, por exemplo.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro foi um dos clientes. Em 2013, comprou um enorme pacote de serviços de infraestrutura e softwares capazes de fazer cruzamentos e analisar grandes volumes de dados. Alguns contratos ainda estão em vigor.

Uma apresentação de 2015 detalhou a tecnologia oferecida

Continue lendo no The Intercept.