Marina atribui o fato de ser campeã de rejeição em pesquisa ao machismo e não aos próprios erros

Marina e Aécio Neves

Em artigo publicado no Facebook, a ex-senador Marina Silva reclama da rejeição que recebeu numa pesquisa eleitoral sobre 2022.

Ela foi a mais reprovada entre todos os possíveis candidatos, incluindo Jair Bolsonaro, mas atribuiu a rejeição ao machismo e não aos seus próprios erros, como por exemplo o apoio a Aécio Neves no 2o. turno das eleições presidenciais de 2014.

Leia abaixo o desabafo de Marina:

Uma entre dez. E em meio a 10 personalidades políticas, possíveis postulantes ao posto de presidente do país, sou a mais rejeitada. Para essas pessoas, sou, talvez, a que representa maior prejuízo à nação, ainda que pesquisas sejam apenas um retrato do momento.

Deve ser mesmo muito perigoso ser alguém que, apesar de tudo, inclusive de seus próprios erros, ainda consegue ser a única mulher a figurar em meio aos nove homens que, independentemente de suas vontades

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.