Na campanha, Bolsonaro prometeu não interferir na Petrobras

Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo

Em seu programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a política de preços da Petrobras deveria seguir os “mercados internacionais”, com apenas uma “suavização” das flutuações de curto prazo. A política de preços da Petrobras virou uma incógnita após Bolsonaro decidir trocar o comando da estatal.

“Os preços praticados pela Petrobras deverão seguir os mercados internacionais, mas as flutuações de curto prazo deverão ser suavizadas com mecanismos de hedge apropriados”, diz o programa.

Os mecanismos de “hedge”, que são operações no mercado para oferecer proteção financeira à companhia, já eram adotados pela Petrobras para compensar defasagens ocasionais entre o preço do combustível aqui e sua paridade com a cotação internacional do petróleo e do real.

Bolsonaro tem repetido que a mudança na presidência da Petrobras — o general da reserva Joaquim Silva e Luna foi

Continue lendo no Blog da Cidadania.