O cinema brasileiro quase ausente em Berlim

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O Brasil é um país culturalmente em declínio e seu cinema está moribundo. Depois de ter ganhado tantos prêmios e de ter mostrado tantos filmes no Festival Internacional de Cinema de Berlim, a participação brasileira este ano será quase nula. Nisso, o presidente Bolsonaro atingiu seu objetivo: queria matar o cinema nacional, pois está matando. Esse é mais um atestado da decadência política e cultural que atinge hoje todos os setores do país.

Ainda no Festival de Berlim do ano passado, quando o Brasil chegou com 18 filmes em competição, a atriz portuguesa Leonor Silveira, tinha feito uma importante declaração: “o governo Bolsonaro está cometendo um crime contra o cinema brasileiro, isso é uma vergonha mundial”. Leonor é uma das nove atrizes no filme Todos os Mortos, de

Continue lendo no Observatório da Imprensa.