Risco em alta, vacina em falta

Aloysio Fonseca, 60, é professor de clínica médica na Universidade do Estado do Rio de Janeiro há 30 anos. Desde que começou a lecionar na universidade, trabalha no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), onde é chefe de enfermaria. No dia 26 de janeiro, Fonseca recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19. “Nós começamos seguindo o critério de vacinar só quem estivesse diretamente ligado às unidades Covid”, explica Fonseca. Posteriormente, o Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho da Uerj (Dessaúde) abriu a vacinação para os profissionais de saúde acima de 60 anos. Fonseca, que trabalha em enfermarias não destinadas à Covid-19, só recebeu a dose pelo critério de idade. Como as vacinas são escassas, outros médicos, igualmente expostos, não puderam ser vacinados porque não trabalham em leitos destinados à Covid-19. “O problema é que isso, no Hupe, não vale. Todo mundo aqui está na linha de frente.” 

Continue lendo na Revista Piauí.