O crime bárbaro que expôs o Brasil

O Brasil expôs suas entranhas, na última quinta-feira, quando dois seguranças espancaram e depois sufocaram à morte o soldador João Alberto Silveira Freitas, um cidadão negro de 40 anos, na garagem de um supermercado Carrefour, em Porto Alegre. Fizeram tudo enquanto filmados, não ligaram. Ao longo da sexta, o governo reagiu minimizando. “Não foi racismo”, afirmou mais de um, incluindo o vice-presidente Hamilton Mourão. No fim de semana, a revolta estourou.

Segundo o laudo da perícia, João…


Continue lendo no Canal Meio.