Bolsonaristas resistem em apoiar candidato de Russomanno

Foto: Danilo Verpa/Folhapress

Se os moradores de São Paulo ainda fiéis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tivessem um pesadelo com o segundo turno, ele não seria tão ruim quanto o resultado imposto pelas urnas no domingo (15). Um representante do arquirrival João Doria (PSDB) contra um nome à esquerda do PT.

O candidato do presidente, abraçado por parte do bolsonarismo a contragosto por falta de representante mais ideológico, foi Celso Russomanno (Republicanos). Ele terminou em quarto, com 10,5%, numa derrota associada à rejeição a Bolsonaro de 50% dos moradores da capital paulista.

Agora, a reduzida base eleitoral de Bolsonaro tem que escolher entre Guilherme Boulos (PSOL) ou o prefeito Bruno Covas (PSDB), que recebeu o apoio de Russomanno —mesmo após a campanha do Republicanos, orientada pelo Palácio do Planalto, ter mirado os tucanos.

O choque de realidade fez com que políticos, influencers e eleitores bolsonaristas apelassem à infundada explicação

Continue lendo no Blog da Cidadania.