Bruno Covas, Aécio Neves e a ascensão sem mérito: um risco para os cofres públicos

Aécio, Bruno Covas e Karen Ichiba, sua esposa na época

Bruno Covas se apresenta como a novidade na politica.

O novo com DNA, como diria Marcelo Rubem Paiva. Mas, se se observar o histórico dele, verá que não.

Ele não é novo.

Parece tão velho quanto Aécio Neves, outro que tem DNA.

Bruno Covas tem 40 anos de idade, mas é como se já somasse quase 500.

É que, ao se olhar para Bruno Covas ou Aécio Neves, o que se deve ver é a herança do patriarcado.

Pessoas que se apresentam para postos de comando não pelo que fez — no caso de Bruno, nada —, mas pelo nome que carregam.

E pessoas assim se reconhecem na vida pública.

Por exemplo, o que levou Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, a entregar a Bruno Covas a mais alta honraria do Estado, a Medalha da Inconfidência?

Bruno Covas tinha

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.