Bolsonaro e o corpo estendido numa poça de sangue. Por Paulo Moreira Leite

Originalmente publicado em FACEBOOK

Por Paulo Moreira Leite

Mesmo sabendo que nunca se deve esperar uma reação decente por parte Jair Bolsonaro, a resposta presidencial diante assassinato de João Alberto Siqueira Freitas supera qualquer expectativa.

Longe de demonstrar empatia — mesmo protocolar — pelo sofrimento de um cidadão massacrado em praça pública, asfixiado numa poça de sangue por um grupo covarde de seguranças, Bolsonaro aproveitou a oportunidade para criticar e ameaçar brasileiros e brasileiras que foram as ruas manifestar sua indignação.

“Não nos deixemos ser manipulados por grupos políticos”, escreveu, como se os protestos contra o crime de Porto Alegre fossem parte de uma operação oculta contra o grupo Carrefour, um dos maiores do mundo .

“Não existe cor da pele melhor do que as outras”, acrescentou Bolsonaro, sugerindo que uma reação de indignação pudesse confundir-se com a defesa de qualquer tipo de privilégio.

Tentando perfilar-se em torno do

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.