O Outro Lado da Memória – sonho impossível de André Luiz Oliveira

O cinema tem o hábito de maltratar obras-primas da literatura ou, ao menos, de se mostrar incapaz de produzir filmes à altura dos textos literários que transpõe para a tela. Filmado múltiplas vezes e prevenido quanto aos riscos que corre, Dom Quixote, de Miguel de Cervantes (1547-1616), tem razões de sobra para resistir a continuar sendo castigado. Daí o célebre romance ter submetido Terry Gilliam ao suplício de ter a sua versão interrompida, em 2000, e cancelada a seguir. Até que Gilliam conseguiu, após várias tentativas frustradas, retomar e concluir O Homem que Matou Dom Quixote, lançado em 2018. O documentário Perdido em La Mancha, de 2002, registra as peripécias que levaram a primeira filmagem a ser suspensa alguns dias depois de iniciada.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

No Brasil, Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, publicado em 1956, sofreu uma primeira adaptação, em 1965, e

Continue lendo na Revista Piauí.