17 quadras – testemunho da ferida aberta

Sexta-feira, 6 de novembro, 6h30, hora de Brasília: a CNN anuncia que Joe Biden passou à frente de Donald Trump na Geórgia, estado que vinha elegendo candidatos republicanos desde 1996. Horas depois, Biden também superou Trump na Pensilvânia, onde o atual presidente venceu, em 2016, a então candidata democrata Hillary Clinton.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

Sábado, 7 de novembro: Biden mantém a liderança no Arizona e em Nevada, além da Geórgia e da Pensilvânia, já tendo assegurado 253 votos do total de 270 necessários para ser eleito pelo colégio eleitoral. É razoável supor, portanto, que o candidato do Partido Democrata será o 46º presidente dos Estado Unidos a partir de janeiro do próximo ano, apesar da incerteza que permanece no momento em que escrevo.

A expectativa de os Estados Unidos se livrarem do bufão irresponsável e mentiroso que os preside há quase quatro anos é

Continue lendo na Revista Piauí.