Americanos 15 mil anos mais velhos

Ferramentas de pedra encontradas na caverna Chiquihuite, no interior do México, podem fazer recuar ainda mais a história da ocupação das Américas. Alguns artefatos achados ali têm pelo menos 31 mil anos de idade, de acordo com a estimativa da equipe de arqueólogos que investigou a caverna. O estudo foi publicado hoje na revista especializada Nature, num artigo assinado por cientistas do México, Brasil, Estados Unidos, Dinamarca, Reino Unido e Austrália.

Para se tornarem o mais antigo registro da ocupação das Américas, as ferramentas de Chiquihuite precisam ter sua idade e origem reconhecidas pelos arqueólogos. Quando o assunto é a presença humana antiga no continente americano, nem sempre a publicação dos resultados em revistas respeitadas basta para convencer os especialistas. Os vestígios mais recuados da presença humana no continente aceitos consensualmente pelos estudiosos vêm do sítio de Monte Verde, no sul do Chile, e têm 14,5 mil anos

Continue lendo na Revista Piauí.