Preso por corrupção, morto por Covid-19

O ex-deputado Nelson Meurer (PP-PR) acordou indisposto e com sintomas gripais no último 3 de julho, uma sexta-feira. Primeiro condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na operação Lava Jato, Meurer cumpria a pena na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão (PEFB), cidade de 91 mil habitantes no Sudoeste do Paraná, a 470 km de Curitiba. Foi atendido no ambulatório do presídio e submetido a um teste rápido para Covid-19, que deu negativo. Como outro detento apresentava sintomas mais graves — febre e falta de ar — todos os quinze custodiados do anexo foram testados. Quatro foram diagnosticados com o novo coronavírus e transferidos da penitenciária. Eram os primeiros casos na unidade.  Meurer continuou a se sentir mal. Naquele dia e nos seguintes, manteve o trabalho na cozinha do presídio, posto que ocupava desde que começou a cumprir pena. Era encarregado de, junto com outros detentos, receber a comida fornecida por uma

Continue lendo na Revista Piauí.