O capitão da milícia

Foi em março de 2019 que o perito da Polícia Civil Roberto Liarth, 43 anos, começou a notar uma movimentação estranha na praça em frente à sua casa, no bairro de Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Tão logo o sol se punha, motos, a maioria sem placa, começavam a circular no local, indiferentes ao movimento dos moradores, inclusive crianças; a partir da meia-noite, mais motoqueiros e automóveis chegavam e tomavam conta da praça. Liarth notou que o grupo vendia drogas próximo a um trailer estacionado no local. O perito começou então a fotografar a movimentação e a registrar as placas dos veículos – quando elas existiam. Muitas, constatou, eram clonadas.

Quando reuniu informações que julgou suficientes sobre o grupo, Liarth resolveu denunciá-lo ao serviço 190 da Polícia Militar. Passados cinco minutos do telefonema, o perito notou que os carros e motos deixaram rapidamente o local.

Continue lendo na Revista Piauí.