Ameaças militares enterram voto impresso

Foto: UESLEI MARCELINO

De onde não se espera nada de bom é que não vem nada mesmo. Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, recebeu um recado do ministro da Defesa, general Braga Netto, no dia 8 de julho, de que se não houver voto impresso e auditável, não haverá eleição em 2022. A mensagem foi a mesma repetida abertamente e à exaustão por Jair Bolsonaro no mesmo momento.

O golpismo foi revelado por reportagem de Andreza Matais e Vera Rosa, no jornal O Estado de São Paulo, nesta quinta (22).

A urna eletrônica já é auditável e o general sabe disso. A pressão criminosa sobre o parlamento pela aprovação da impressão do voto tem o único objetivo de abrir caminho à estratégia do presidente da República para tumultuar as eleições do ano que vem em caso de derrota, abrindo caminho para um golpe de Estado.

Assim, ele teria

Continue lendo no Blog da Cidadania.