Metade das jornalistas mulheres na África sofreram assédio sexual no trabalho

Por Hanna’ Tameez*

As mulheres que trabalham na mídia africana têm duas vezes mais chances de sofrer assédio sexual no trabalho do que os homens, de acordo com um novo relatório da Women in News (Mulheres na Mídia), programa de desenvolvimento da WAN-IFRA (Associação Mundial de Editores de Notícias, na sigla em inglês). Eis a íntegra do relatório (2 MB).

O estudo é a 1ª coleta de dados em larga escala sobre assédio sexual na mídia na África, no qual a Women in News afirma corroborar “a crença de que o assédio é prevalente em todos os lugares e é um impedimento significativo para uma indústria de mídia saudável, independentemente do país ou contexto”.

“Em uma nova pesquisa de redações de oito países da África, cerca de uma em cada duas mulheres disse ter sofrido assédio sexual no local de trabalho. E geralmente apenas 30% desses casos são relatados em todo o continente.”

A


Continue lendo no Poder 360.