Como tirar sentido do caos? Dominguetti na CPI da Covid

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Desde o lançamento do livro Opinião Pública de Walter Lippmann (1922) nos Estados Unidos, muita gente que estuda jornalismo tem teorizado e discutido sobre o papel dos conteúdos jornalísticos em ajudar as pessoas a “fazer sentido do mundo”. Críticas à parte sobre o quão protagonista o jornalismo é nesse processo de construção de sentido das pessoas, nesta última semana fiquei pensando sobre aquela parte importante do trabalho de jornalista que consiste em analisar informações que foram apresentadas de forma mais ou menos desconexa e organizá-las para apresentar ao público de uma forma coerente. Sem isso as matérias obviamente não iam passar de um grande “catadão” de informações, tipo um caderno de rascunhos, e boa sorte de quem tentasse ler/assistir/ouvir aquilo.

O que me chamou a atenção para isso

Continue lendo no Observatório da Imprensa.