Facebook apaga críticas a Israel que usem o termo ‘sionista’

AS REGRAS INTERNAS SECRETAS do Facebook para moderar o termo “sionista” permitem que a rede social suprima as críticas a Israel em meio a uma onda de abusos e violências praticados pelo país, segundo pessoas que analisaram essas políticas.

As regras estariam em vigor desde 2019, o que aparentemente contradiz uma alegação feita pela empresa em março, de que ainda não teria decidido se “sionista” seria um termo usado como sinônimo de “judeu” ao verificar um possível “discurso de ódio”. As políticas, obtidas pelo Intercept, regem o uso de “sionista” em postagens não apenas no Facebook, mas em todos os aplicativos associados, incluindo o Instagram.

Tanto o Facebook quanto o Instagram enfrentam acusações de censura na esteira da ampla e arbitrária exclusão de postagens recentes de usuários pró-Palestina com críticas ao governo israelense, incluindo aquelas que documentavam ocorrências de violência de Estado por parte de Israel.

Israel e Gaza foram

Continue lendo no The Intercept.