Réquiem para um governo de sacripantas, parvos, malandrões e nulidades

Continue lendo no Balaio do Kotscho.