Guardas atiram em pai e filha com bala de borracha, e jovem corre risco de ficar cega

Publicado originalmente na Ponte Jornalismo

Por Jeniffer Mendonça

Geovanna Teixeira, 21, e o pai Joab Teixeira, 42, estão no Hospital das Clínicas aguardando cirurgia | Fotos: Arquivo pessoal

“Foi uma noite de terror”, lamenta a dona de casa Nycole Dafne Carvalho Teixera, de 23 anos, ao relembrar sobre ação da Romu (Ronda Operacional Municipal), tropa da Guarda Civil Metropolitana de Osasco (Grande SP), durante a madrugada de sábado para domingo (3/5). O gari Joab Santos Teixeira, 42, pai de Nycole, e a irmã a servidora pública Geovanna Tawanne Carvalho Teixeira, 21, estão hospitalizados no Hospital das Clínicas, na capital paulista, aguardando cirurgia depois de terem sido atingidos por balas de borracha.

Nycole conta que Geovanna foi atingida no olho, no portão do edifício onde moram, e o pai baleado na cabeça e no abdômen e no braço, sendo que um dos estilhaços atingiu seu olho durante a ação dos guardas.

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.