Leo Lupi: Sobre frentes, diálogos e eleições

Por Leo Lupi

Reduzir o processo político às eleições é um dos grandes erros que ajudou a levar o Brasil à mediocridade atual.

É importante lembrar que a construção da redemocratização uniu Brizola, Ulysses Guimarães, Tancredo, Miguel Arraes, Teotônio Vilela, Mário Covas, Franco Montoro, Lula, FHC. Políticos de ideologias diversas ou até mesmo inconciliáveis, mas que promoveram a conciliação no processo político que envolve Anistia, Diretas, Constituinte.

Na primeira eleição pós-ditadura, em 1989, não formaram uma única chapa. Foram, aliás, muitas chapas. Todo o processo político anterior foi muito mais pujante e mobilizador do que a própria eleição.

Não quero fazer um texto falando de nomes específicos para a eleição de 2022. É claro que toda eleição é de extrema importância, e essa ainda mais. Mas política não é só eleição. O Brasil vive hoje um momento tão ou mais complexo que a ditadura, e reduzir o enfrentamento


Continue lendo no O Cafezinho.