Quanto é demais?

Passamos de 300 mil mortos há uma semana e atingimos 314.268 mil em 29 de março. Projeções indicam, porém, que esse total já deve, na verdade, ter ultrapassado 410 mil. Mantida a tendência atual de alta dos óbitos, chegaremos a 500 mil vítimas da Covid-19 até o final de junho. Quinhentas mil vidas perdidas! Impossível minimizar a dimensão dessa tragédia. Não há como remediar tamanha mortandade. É tarde demais. O crime foi consumado, e o principal responsável sabemos quem é. Impotentes diante da catástrofe, só nos resta preservar a memória do espetáculo macabro, lanhados pela experiência de sermos contemporâneos da pandemia. Quanto às mortes que continuam a bater recordes diários, será preciso somá-las às já enumeradas. Até quando?

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

A estatística de vítimas da Covid-19 e de contaminados pelo Sars-CoV-2 e suas variantes, também em alta, sugere a pergunta feita no título

Continue lendo na Revista Piauí.