A “Escola Sergio Moro” não sai do papel

No fim de setembro do ano passado, o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro começou a esboçar um projeto fora do serviço público: a criação de uma “escola de estudos jurídicos”, usando o próprio nome como marca. A “Escola Sergio Moro” ofereceria “treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial” e “cursos preparatórios para concursos”. Na ocasião, fazia pouco mais de cinco meses que ele tinha desembarcado do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) e, embora ex-juiz, ainda gozava da aura que fez o nome na operação Lava Jato – sua popularidade era maior que a do presidente, de acordo com a pesquisa XP publicada naquele mês. Passados seis meses, a escola não saiu do papel. Por intermédio de sua assessoria, Moro afirmou à piauí que a empresa não iniciou atividades e nem há previsão para que isso ocorra. Não quis, porém, dar entrevista.

window.uolads && window.uolads.push({ id: “banner-300×250-area” });

Continue lendo na Revista Piauí.