Casais ricos do Amapá driblam Lei da Adoção e tiram crianças de famílias pobres com apoio do judiciário

A filha de quase 2 anos de Jéssica Gabrieli estava na casa da avó com os irmãos de 4 e 5 anos quando oficiais de justiça de Macapá levaram as três crianças para um abrigo após denúncias de negligência familiar. Era setembro de 2018. Seis meses depois, em março, os meninos estavam de volta, mas a bebê Mariana*, não. Sua guarda foi entregue a um casal na mesma época em que as outras crianças foram devolvidas para a mãe, em uma decisão que até hoje é questionada por Jéssica, pela Defensoria Pública e pelo Ministério Público do Amapá. E esse não é um caso isolado.

Há ao menos 187 processos de “adoção cumulada com destituição do poder familiar” em andamento no Amapá atualmente, segundo dados que obtive via Lei de Acesso à Informação. São casos em que casais entram na

Continue lendo no The Intercept.