O que os jornalistas aprenderam com o primeiro ano da pandemia

(Foto: Unsplash/Obi Onyeador)

A imagem da enfermeira Monica Calazans sendo vacinada em 17 de janeiro foi emocionante e simbólica. Trouxe alívio porque mostrou que a vacina era possível entre nós, e estabeleceu um novo marco no calendário da pandemia: o início da imunização em massa no país. Passadas algumas semanas, sabemos que esta fase é muito mais complexa, e o seu ritmo pode nublar parte da nossa esperança. Mesmo assim, não dá pra esquecer aqueles olhinhos sorrindo atrás dos óculos: era como se estivéssemos deixando o fatídico 2020 pra trás mesmo, fechando aquele capítulo terrível da história. Sim, porque – sejamos francos! – O Ano da Peste não terminou em 31 de dezembro, já que a impiedosa estatística e as notícias ruins não respeitaram a contagem convencional dos dias.

Quem

Continue lendo no Observatório da Imprensa.