“O crime de Assange é ter realizado o trabalho de um jornalista sério” diz Noam Chomsky

(Foto: Reprodução)

Julian Assange não será extraditado aos Estados Unidos, mas ainda está detido de acordo com um veredicto de Londres em 4 de janeiro devido à divulgação, por WikiLeaks, de cerca de 251.287 cabogramas diplomáticos, mais de 400.000 relatórios secretos do exército dos EUA da Guerra do Iraque e 90.000 e da Guerra no Afeganistão, revelando incontáveis baixas de civis pelos militares dos EUA, a corrupção desenfreada dos EUA em todo o mundo espionando, boicotando governos democráticos, bem como políticas sujas em vários países.

Segundo o veredicto da juíza britânica que pronunciou a sentença no início deste ano, seria injusto e opressor extraditar o fundador de WikiLeaks.

“Assange sofre de um transtorno depressivo recorrente. (…) Possui pensamentos suicidas e seria‘ obstinado ’em uma tentativa de acabar com

Continue lendo no Observatório da Imprensa.