Covid matou 900 sobreviventes do Holocausto

Holocausto em campo de concentração no ano de 1944. Foto: Wikimedia Commons

Publicado originalmente no RFI:

Por Daniela Kresch

Neste 27 de janeiro, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o Escritório Central de Estatísticas de Israel revelou que 900 sobreviventes do genocídio nazista morreram em 2020 em consequência da Covid-19. Durante todo o ano, 15 mil sobreviventes faleceram, o que significa que 6% das mortes foram causadas pelo coronavírus.

Setenta e seis anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, vivem em Israel apenas 178,4 mil sobreviventes do Holocausto. Entre eles, 5,3 mil foram contaminados pelo coronavírus.

A média de idade dos sobreviventes é de 84 anos. Por dia, cerca de 40 deles falecem.

Em comunicado conjunto, os presidentes de Israel, Reuven Rivlin, da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, e do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmaram que trabalham juntos para “preservar a memória do Holocausto e lutar contra o antissemitismo”.

“Prestamos homenagem

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo.