Artistas pintam a Paulista após morte de negro em supermercado, enquanto Governo nega racismo

Um coletivo de artistas de São Paulo deixou estampado na avenida Paulista o que o Governo do presidente Jair Bolsonaro não conseguiu expressar após o assassinato cruel de João Alberto Silveira Freitas, negro, de 40 anos, em um supermercado de Porto Alegre: vidas negras importam. A frase foi pintada por profissionais de vários segmentos e voluntários na principal avenida da capital no início da noite de sexta-feira (20), dia da Consciência Negra, e terminou por volta das 5h da manhã deste sábado (21). Eles contaram com o apoio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que fechou parte da avenida para que as pessoas pudessem trabalhar durante toda a madrugada.

Seguir leyendo

Continue lendo no EL PAÍS Brasil.