A imprensa como tribunal eleitoral

(Imagem: Unsplash)

Além de tradicionalmente ser a instituição que declara quem venceu uma eleição presidencial, a imprensa norte-americana assumiu na quinta feira (5/11) a delicadíssima posição de tirar do ar uma fala do presidente Donald Trump, alegando que ele estava disseminando mentiras. A atitude de três das cinco maiores redes de TV dos Estados Unidos transformou-as num verdadeiro tribunal eleitoral informal capaz de decidir o que pode ou não pode ser transmitido para a população.

O anúncio do vencedor de uma eleição presidencial é uma tradição antiga num país que não tem um tribunal eleitoral como o brasileiro. As redes somam os resultados apurados pelos estados e anunciam quem obteve a maioria dos delegados no colégio eleitoral que apontará o próximo ocupante da Casa Branca.

Mas esta foi a primeira vez na

Continue lendo no Observatório da Imprensa.