Áreas do Pantanal onde há mais gado têm mais focos de incêndio, diz pesquisa

Um estudo feito pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) mostra que o número de focos de incêndio no Pantanal é maior em cidades com mais cabeças de gado. O resultado contraria a tese do “boi bombeiro”, defendida pela ministra Tereza Cristina (Agricultura). Segundo ela, se o Pantanal tivesse mais gado, os incêndios seriam menores.

A pesquisa foi feita a partir de dados sobre o rebanho bovino divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) e a quantidade de focos de incêndios em 2018 registrada pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Segundo o estudo, as cidades com mais cabeças de gado são também as que mais registraram queimadas no período. Entre elas, Corumbá (MS), com 54.800 focos e 1,8 milhão de cabeças de gado em 2018.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px


Continue lendo no Poder 360.