Deus quer gospel e não MPB

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

A música brasileira é pagã, imoral, idólatra, esquerdista, degenerada ou coisa parecida? Imagino como reagiria o ministro da Educação, Milton Ribeiro, um presbiteriano dos bons, da linha reacionária, acusado de homofóbico, se escutasse ou visse pelo youtube o Johnny Hooker, interpretando Flutua ou, na mesma linha, A Gente Junto, com Ana Vitória.

Se pudesse, no mínimo tiraria do ar, do som, da imagem e do mercado.

Agora, qual seria a reação dos líderes evangélicos, Silas Malafaia, que berrava querer um ministro tremendamente de direita (em outras palavras de extrema-direita ou neo-nazifascista) e do Edir Macedo, diante das sem-vergonhices, quando não esquerdices, cantadas e mostradas nos clips de música brasileira dos novos compositores, da nova safra em formação?

Por essas e outras, a direção dos evangélicos

Continue lendo no Observatório da Imprensa.