Brasil, ame-o e deixe-o queimar!

(Foto: Christiano Antonucci/Secom/MT)

Meu texto já estava resumido na cabeça. Seria qualquer coisa como: O Nariz de Bolsonaro no discurso da ONU. Ele mente como respira.

Em lugar do Bolsonaro, que queima a Amazônia, cantando um hino evangélico, seria Pinóquio, presidente do Brasil.

Era só uma questão de fazer umas pesquisas, ler a transcrição do falacioso discurso na ONU, que descredibilizou ainda mais o Brasil diante das nações, juntar as mentiras e completar o texto, embora sem esperança de desconverter sequer um de seus seguidores.

A ideia do presidente pinoquiano se reforçava porque, ao fazer uma pesquisa, descobri uma inusitada informação. A de que o nariz de um mentiroso não se alonga como acontecia com o nariz de Pinóquio, mas suas narinas se dilatam e se aquecem. Ao

Continue lendo no Observatório da Imprensa.