O governo deveria estocar arroz, não você

Eleito com a promessa de enxugar o estado, Jair Bolsonaro criou um estado seco, que só assiste e nada faz. O caso emblemático da alta dos preços do arroz mostra como o desmonte da política nacional de segurança alimentar tem um custo elevado para a população. E coloca o governo diante da própria armadilha: como reagir rapidamente quando as estruturas públicas estão destruídas? 

Mais rápidas, as análises que surgiram na imprensa se concentraram em questões conjunturais, como o dólar alto, a formação de estoques pela população devido à pandemia e uma quebra de safra no Rio Grande do Sul. Tudo está certo, tudo faz sentido.

Contudo, coloca-se o governo federal como mero espectador da escalada de preços, tão voluntarioso quanto impotente. O presidente Jair Bolsonaro, que gosta desse papel, limitou-se a pedir patriotismo aos supermercadistas e a reiterar que não interferiria “ de jeito nenhum” no mercado.

Continue lendo no The Intercept.