O que motiva o Jornalismo Comunitário de cunho profissional?

(Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Sonhar é um ato revolucionário por si só. É o ponto de partida das mudanças sociais, quando rompe a esfera do individual e passa a ser compartilhado coletivamente. Eram meados de novembro de 2014, quando comecei a pensar recorrentemente sobre o sonho de uma sociedade mais justa, apesar dessa discussão remontar aos gregos, como menciona Chauí. Estava em uma área de reforma agrária e lancei o olhar ao alto, avistando o sol pujante das nove horas da manhã na zona rural pernambucana. Ele se apresentava entre as brechas das folhas que compunham o sistema de agrofloresta da terra adquirida por dona Nazaré em um programa de assentamento rural. Caminhando entre pés de caju, manga, pitanga, e longe do barulho da cidade, a voz dessa

Continue lendo no Observatório da Imprensa.