Seletividade dos noticiários internacionais em tempos de pandemia e convulsões sociais

(Foto: Fotomovimento/Pedro Mata)

A humanidade está atravessando um dos períodos mais conturbados das últimas décadas. Além da pandemia do coronavírus – que, por si só, já seria motivo suficiente para considerarmos o atual momento como extremamente complicado – há uma grande quantidade de convulsões sociais ocorrendo em vários pontos do planeta.

Diante dessa realidade, é interessante constatar como a mídia brasileira dá bastante ênfase a determinadas mobilizações populares e, em contrapartida, praticamente não noticia outras. Trata-se do que Perseu Abramo classificava como “padrão de ocultação midiática”: técnica que a imprensa aplica para esconder determinados fatos, tornando-os, assim, “desconhecidos” do grande público.

Os principais grupos de comunicação alegam que, ao escolherem as pautas internacionais, levam em conta critérios como importância e relevância global de um acontecimento, potencial interesse do público, ineditismo e atualidade.

Continue lendo no Observatório da Imprensa.