Racismo em tempos de Covid-19

No começo de junho, auge da epidemia de Covid-19, Miguel Otávio, de 5 anos, morreu após cair de um prédio enquanto estava sob os cuidados da então patroa de sua mãe, empregada doméstica no Recife. O caso explicita o racismo e as condições de trabalho das domésticas no Brasil. Luana Almeida, moradora da extrema periferia de São Paulo, na Zona Leste da cidade, é filha e sobrinha de empregadas domésticas. A seguir, ela conta como, em sua comunidade, a pandemia é um entre muitos problemas que afetam os brasileiros mais pobres – que precisam enfrentar não só as dificuldades extras trazidas pela Covid-19, mas também o racismo e a violência cotidiana.

Em depoimento a Camille Lichotti

*

O problema da chegada de uma pandemia para nós, moradores da periferia, que já tínhamos nossas questões, é agravar o que já existia, saca? A violência, o descaso, o desprezo acerca

Continue lendo na Revista Piauí.