PCC veste branco

Passava das 7 horas da noite de sexta-feira, 30 de dezembro de 2016, antevéspera do Réveillon, e o expediente recém terminara na clínica odontológica Odonto Pride em São Mateus, Zona Leste de São Paulo. Com os pés sobre a mesa em sua sala, o protético Emerson Fernando da Silva, então com 31 anos, preparava-se para ir embora quando dois rapazes abriram a porta: “Que bagunça é essa aqui?”, perguntou um deles, Renato da Silva Bustamante Sá Júnior, formalmente o dono da clínica, acompanhado de outro funcionário. Os dois chamaram Silva para uma outra sala nos fundos do imóvel, onde disseram a ele que deveria assinar um pedido de demissão e devolver um automóvel que o protético havia comprado da própria clínica. Quando Silva disse que já tinha revendido o veículo, Sá Júnior e o subordinado amarram as mãos do protético com uma algema de plástico e começaram a agredi-lo com

Continue lendo na Revista Piauí.