Fenae critica manutenção de fim do prazo de cadastro para receber auxílio emergencial

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) defende que o benefício seja ampliado para ajudar brasileiros e manter economia funcionando.
 
Termina nesta quinta-feira (2) o prazo para cadastramento de desempregados, trabalhadores informais e Microempreendedores Individuais (MEIs) ao auxílio emergencial de R$ 600. O governo anunciou hoje (30) que o benefício será prorrogado por mais dois meses (em quatro parcelas), prazo que a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) considera insuficiente.

“O auxílio precisa ser mantido e ampliado por um prazo maior. O desemprego vai continuar subindo, a crise não vai acabar tão cedo e os brasileiros precisam ser assistidos pela estrutura do Estado”, afirma o presidente da Fenae, Sérgio Takemoto. Conforme observa o dirigente, o benefício — criado para minimizar os efeitos da crise provocada pela pandemia do coronavírus — também ajuda a manter a economia funcionando. “As famílias utilizam os recursos para o consumo de itens essenciais, como alimentos, além do


Continue lendo no O Cafezinho.