Coronavírus: status de ‘doença rara’ para tratamento pode torná-lo caro demais

Na tarde de segunda-feira, dia 23, o FDA, a agência que regula remédios nos Estados Unidos, atribuiu o status de medicamento “órfão” ao medicamento antiviral da empresa Gilead Sciences, o remdesivir. Essa classificação atribui ao laboratório farmacêutico, por sete anos, o lucro exclusivo decorrente do produto, um dos muitos que estão sendo testados para o tratamento da covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

Os especialistas alertaram que essa classificação, reservada para o tratamento de “doenças raras”, poderia impedir o fornecimento do antiviral por fabricantes de medicamentos genéricos e prover um lucro inesperado para a Gilead Sciences, que mantém uma relação próxima com a força-tarefa do presidente Donald Trump para controle da crise do coronavírus. Joe Grogan, que participa da força-tarefa da Casa Branca, fez lobby para a Gilead de 2011 a 2017 em questões que incluíam a precificação dos medicamentos.

“É um absurdo que isso

Continue lendo no The Intercept.