Bolsonaro não é louco, ele apenas representa o interesse e a visão das elites dominantes

Por Leonardo Giordano

Foi um pronunciamento de moleque. Mandar recado pro Dráuzio Varela, fazer piadinha, falar que o coronavirus é uma gripezinha, um resfriadinho, dizer que é atleta. Enfim, um monte de gracinha que não condiz com a postura de um chefe de Estado que está diante de uma crise tão grave quanto a que estamos vivendo. Indo ao conteúdo, as declarações são estapafúrdias, contrariam a ciência e não têm qualquer nexo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e com aquilo que já está acontecendo em alguns países do mundo, como são o caso da Itália e da Espanha, onde morreram centenas de pessoas por dia. Não têm nexo com o que diz o Ministro da Saúde nomeado pelo próprio presidente. Muita gente está atribuindo tudo isso à loucura de “Bolsonero”. Embora seja verdade que na “Bolsolândia” “Bolsonero” é o chefe dos loucos, não é verdade que


Continue lendo no O Cafezinho.