Coronavírus espreita a Olimpíada

O porto de Yokohama está estrategicamente situado no centro da baía de Tóquio. Inaugurado em 1859, abriga um terminal de passageiros de última geração e pode receber até sete navios de cruzeiro simultaneamente. Uma das estrelas do terminal é o Diamond Princess, com capacidade para 2670 passageiros e 1100 tripulantes, que faz tours pela Ásia e ancora na cidade várias vezes ao ano. Entretanto, desde a última vez que atracou, no dia 3 de fevereiro, não saiu mais. Acabou se transformando num símbolo trágico do surto de coronavírus no Japão. Já contabiliza mais de 450 infectados, em um polêmico regime de quarentena que virou caso internacional, em função das várias nacionalidades dos envolvidos. 

Distante do terminal de Yokohama, o coronavírus chega a uma nova fase no Japão, que os infectologistas chamam de transmissão doméstica. É uma perigosa escalada. Os casos de infecção se multiplicam (depois da China, o

Continue lendo na Revista Piauí.