Manual para envenenar a Terra: como as fabricantes de inseticidas cooptam cientistas

Em setembro de 2009, mais de 3 mil entusiastas de abelhas de todo o mundo dirigiram-se à cidade de Montpellier, no sul da França, para a Apimondia – uma conferência festiva de apicultores repleta de palestras científicas, demonstrações de criadores amadores e comerciais que vendiam mel. Mas, naquele ano, uma nuvem de preocupação pairou sobre o evento: colônias de abelhas em todo o mundo estavam entrando em colapso e bilhões delas estavam morrendo.

Declínios na população de abelhas foram observados ao longo da história, mas as perdas anuais repentinas, persistentes e anormalmente altas se tornaram tão sérias que o Departamento de Agricultura dos EUA chamou dois dos mais conhecidos entomologista do mundo – Dennis vanEngelsdorp, um proeminente inspetor apiário na Pensilvânia, que na época estudava na Penn State University, e Jeffrey Pettis, que posteriormente trabalhou como cientista do governo – para estudar o misterioso declínio. Eles

Continue lendo no The Intercept.