Está caindo a casa dos Bolsonaros: será que agora Queiroz vai falar?

A devassa desencadeada esta manhã pelo Ministério Público do Rio, contra a família Bolsonaro e assessores do clã, explica o nervosismo do presidente nos últimos dias, assustado com as investigações sobre “rachadinhas” e o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

O próprio Bolsonaro, em suas declarações semana passada no cercadinho do Alvorada, antecipou que novas denúncias viriam e acusou o governador do Rio, Wilson Witzel, de estar por trás da operação.

As primeiras denúncias contra Fabrício Queiroz, ex-PM que é motorista, segurança, faz-tudo e caixa da família, surgiram há 14 meses, tempo em que ele está desaparecido para tratar de um câncer em São Paulo.

O esquema foi descoberto pelo Coaf, sigla que até mudou de ministério e de letras nesse meio tempo, mas as investigações foram suspensas pelo presidente do STF, Dias Toffoli, atendendo a um pedido do filho 01 Flávio Bolsonaro, que chefiou Queiroz de 2007 a

Continue lendo no Balaio do Kotscho.