China leva churrasco brasileiro

A imensa fila que se formava aos sábados e domingos na frente do balcão de carnes do supermercado da Casa Verde, bairro da Zona Norte de São Paulo, já não existe mais. O quilo do contrafilé que, três semanas antes, era vendido por 27 reais tinha passado, em 1º de dezembro, para inacreditáveis 42 reais, um aumento de 55,5%. Em alguns açougues da cidade, numa evocação dos reajustes diários do período de hiperinflação pré-Plano Real, placas e etiquetas de preço foram retiradas das vitrines. Num açougue de Mongaguá, litoral de São Paulo, o quilo da picanha passou de R$ 29,90 para R$ 40 em um mês, um aumento de 33,77%. Em um mês, num supermercado da Tijuca, no Rio, o kg da picanha subiu de R$ 37,90, em outubro, para R$ 49,90, um aumento superior a 30%. O preço para o consumidor no Brasil varia por região e de acordo

Continue lendo na Revista Piauí.