Priorizar relação com Trump só trouxe prejuízo ao Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse ver “exagero” na repercussão da ameaça do colega Donald Trump de restabelecer tarifas para importação de aço e alumínio do Brasil. Ora, o “exagero” é a política de alinhamento automático com Washington, que só trouxe prejuízo ao Brasil ao longo do ano.

Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, tratam a ameaça do presidente americano com fraqueza, amadorismo e subserviência. Se o governo pretende mesmo reverter a medida, já deveria ter anunciado o estudo de alguma retaliação aos Estados Unidos. Esse jogo é uma via de mão dupla.

Em 2019, o Brasil aumentou a compra de etanol dos EUA e não conseguiu ampliar o mercado para a nossa carne e açúcar. O governo Bolsonaro abriu mão do “tratamento especial” a que o Brasil tinha direito na OMC (Organização Mundial do Comércio) em troca da ilusão de ingressar na OCDE (Organização para a Cooperação

Continue lendo no Blog do Kennedy.