Faz um ano que Bolsonaro não responde como emprestou R$ 40 mil a Queiroz

O caso Fabrício Queiroz completa um ano contrariando o padrão Lava Jato de rigor e celeridade em relação a suspeitas de corrupção. A investigação, que estava parada, deve retomar seu ritmo de tartaruga com a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de permitir o compartilhamento de dados entre o antigo Coaf e o Ministério Público do Rio de Janeiro.

Passado um ano, faltam explicações convincentes de Queiroz e do senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente da República. Flávio é suspeito de promover um esquema de apropriação indébita de salários de servidores na época em que foi deputado estadual no Rio de Janeiro.

Passado um ano, o presidente Jair Bolsonaro continua sem responder como emprestou R$ 40 mil para Fabrício Queiroz. Foi em dinheiro vivo, cheque, TED ou DOC?

O ministro Sergio Moro, paladino do combate à corrupção, não demonstra o menor interesse em esclarecer esse caso nem prestou

Continue lendo no Blog do Kennedy.