AI-5 do Guedes e licença para matar sem punição: a escalada do nazifascismo

Entregue a um bando de vândalos alucinados, o Brasil deve ser o único país do mundo em que, neste momento, o governo, e não a oposição de descontentes, procura provocar uma convulsão social.

Nos países vizinhos, é o povo que sai às ruas para protestar contra o governo; aqui, é o governo que, numa escalada nazifascista, quer provocar a oposição para uma guerra nas ruas.

Em Washington, na segunda-feira, onde foi prestar contas ao mercado, Paulo Guedes, o ministro da Economia, chamado de Posto Ipiranga, resolveu jogar gasolina na fogueira ao afirmar:

“Não se assustem se pedirem o AI-5”.

Quem deve se assustar? Nós ou os especuladores? E quem vai pedir o AI-5?

Do nada, ao comentar a conflagração institucional em países da América Latina, Guedes disse que era preciso “prestar atenção na sequência de acontecimentos nas nações vizinhas para ver se o Brasil não tem nenhum pretexto que estimule

Continue lendo no Balaio do Kotscho.