Eduardo Bolsonaro mostra despreparo ao apoiar invasão de embaixada

A invasão da Embaixada da Venezuela em Brasília deveria ser condenada com maior veemência pelo Itamaraty e o Palácio do Planalto. Apoiadores de Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela, entraram na missão venezuelana hoje. Houve confrontos.

O governo Bolsonaro reconhece Guaidó e condena a administração de Maduro. Bolsonaro criticou a invasão, mas foi acusado de conivência pela oposição brasileira.

Como anfitrião da reunião dos Brics, é ruim para o Brasil que a invasão tenha ocorrido no primeiro dia do encontro entre os cinco países. O Brics é composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Maduro tem o apoio da China e da Rússia.

Eduardo Bolsonaro, que chegou a ser cogitado para embaixador em Washington, deu prova de falta de preparo diplomático. Numa rede social, sugeriu que os apoiadores de Guaidó estavam fazendo a coisa certa.

Um ex-candidato a embaixador defendendo invasão de embaixada é algo inédito do

Continue lendo no Blog do Kennedy.